Uma boa dica para quem vai dirigir no trânsito de mão-inglesa pela primeira vez

As vezes pode haver alguma obra ou algum carro estacionado que obrigue o motorista a desviar, mas, tendo as faixas como guia, é possível realizar essa manobra sem grandes problemas. Nas curvas, também não existe mistério. É só seguir a faixa. O mais complicado é a orientação do trânsito, com conversões, rotatórias e situações inesperadas.

Desconfiado de que sem ajuda o risco de cometer algum erro seria grande, pedi ao assessor de imprensa que me acompanhasse na avaliação. Ele não queria. Parecia ocupado, mas concordou. Saí da fábrica e por indicação dele virei à esquerda junto ao meio-fio – o normal para mim seria cruzar a primeira pista e seguir pela outra mão. Eu me senti entrando naqueles brinquedos dos parques de diversão, quando eles começam a se movimentar e a gente não tem mais como recuar.

A impressão de estar dirigindo na contramão é terrível. Mas fiquei firme, enquanto via os outros carros no sentido contrário passando rentes a mim. Já dirigi carros no limite da velocidade, encarei trilhas com moto, viajei de ultraleve e desci corredeiras em caiaques, mas não me lembro de ter me visto em situação tão perturbadora quanto essa ao volante do Aston Martin. “O que eu estou fazendo aqui?”, pensei, como um praticante de esportes radicais.

Uma boa dica para quem vai dirigir no trânsito de mão-inglesa pela primeira vez é seguir outro veículo, observando o que o motorista faz, sempre com calma e sem pressa. Ao entrar em uma via perpendicular, por exemplo, é preciso lembrar qual o sentido carreto e de que lado vem o fluxo de carros, que é para onde se deve olhar antes de entrar.

As rotatórias são as provas de fogo, porque o motorista entra e sai da manobra no sentido inverso ao que está acostumado. Os ingleses adoram rotatórias, e na primeira vez que me vi nessa situação a vontade era de ficar ali dando voltas até o trânsito dos outros veículos desaparecer.

Não entreguei os pontos, no entanto. Se o assessor me sentisse inseguro, talvez quisesse abreviar meu teste, e eu não poderia permitir isso. Dei somente uma volta inteira na rotatória, para me localizar, e saí assim que o funcionário indicou a direção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *